Plataforma Milage Aprender+ promove formação à distância para 1800 professores

20/03/2020

Plataforma Milage Aprender+ promove formação à distância para 1800 professores

Tendo em conta a nova realidade que a sociedade enfrenta devido à ameaça da Covid-19, o projeto Milage Aprender+, desenvolvido pela Universidade do Algarve, realizou três sessões de formação online para apoiar os professores no acompanhamento à distância do trabalho realizado pelos alunos, do 1º ao 12º anos, de qualquer disciplina.

Segundo Mauro Figueiredo, docente do Instituto Superior de Engenharia (ISE) da UAlg e coordenador do projeto, “estamos perante uma nova realidade, em que a formação é essencial na preparação dos professores para que possam continuar o seu trabalho, mesmo com a escola fechada e os alunos em casa".

A plataforma Milage Aprender+ pode também ser usada no ensino à distância e mais de 1800 professores de todo o país acompanharam as sessões online (síncronas e assíncronas). Os professores que desejem receber a gravação da sessão podem ainda inscrever-se aqui  

Espaço Milage online foi criado para ajudar neste período de crise

Para continuar a apoiar os professores neste período, irá ser aberto um Espaço Milage online, às quartas-feiras, pelas 17h30, onde os professores podem entrar através do link:  https://videoconf-colibri.zoom.us/j/579419043

Recorde-se que esta plataforma foi desenvolvida com vista a promover a prática de aprendizagens inovadoras, utilizando smartphones ou tablets, através de um modelo pedagógico desenvolvido para motivar os alunos, proporcionando-lhes diferentes estilos de aprendizagem em ambiente gamificado e com vídeos educacionais. Começou por disponibilizar materiais para o ensino da Matemática e atualmente contém materiais para todas as disciplinas organizados por anos de escolaridade, que podem ser utilizados em sala de aula ou fora dela, com total autonomia do aluno.

O projeto Milage Aprender+ é apoiado pela Direção Geral de Educação, Associação de Professores de Matemática, Associação de Professores de Português e Associação Portuguesa de Imprensa.

Share Partilhar